Reinserção Sócio-Familiar

Reinserção Sócio-Familiar

Esta etapa no programa de tratamento consiste em a “Semi-internação” do paciente, que ocorre diariamente na nossa unidade de São Paulo, permitindo à aqueles que não representam risco para eles próprios ou outros possam retornar a suas casas, diariamente, após a realização do programa. Este é aplicado para as diferentes patologias psiquiátricas.

Em função da sua patologia, cada paciente tem um programa particularizado, de modo a atender aos vários tipos de encaminhamentos possíveis: pessoas em crise, porém que não necessitem da internação integral, ou, vindos diretamente de uma Internação para a continuidade do tratamento ou ainda, quadros estabilizados/cronificados, para melhorar o desempenho das funções cognitivas e sociais (capacidade de integrar-se à sociedade).

Nosso objetivo é o de ajudar estas pessoas a organizarem seu dia-a-dia, organizarem atividades profissionais, culturais, sociais e de lazer, a procurarem objetivos em suas vidas, traçarem metas para alcançá-las e realizarem estas metas.

A abordagem é feita por uma equipe multi-profissional, em grupos e individualmente, respeitando a cada necessidade. Cada trabalho é voltado para o desenvolvimento de habilidades e necessidades específicas.

Nosso Hospital Dia trabalha diretamente com pacientes da Greenwood e em parceria com outros profissionais e instituições que utilizam os nossos serviços, sem perder o vínculo com seus pacientes ou associados.

Objetivos do Programa de Reinserção

Os objetivos variam de acordo com as características de cada paciente, do perfil do quadro psiquiátrico e da necessidade psico-bio-sociais apresentados.Assim, os objetivos para cada caso poderão ser:

‣ Reabilitação

Para pacientes com quadros estáveis ou crônicos, porém com desajustes na performance social e de trabalho.

‣ Integração à Sociedade

Para pacientes que tenham passado algum período isolado do convívio social ou familiar (por exemplo, saídas de internação).

Características do Atendimento

É um atendimento intensivo, podendo em alguns casos iniciar às 08:00 chegando até às 21:00, de segunda a sexta-feira, e quando necessário nos fins de semana;

O atendimento se faz em uma casa (sem as características de hospital), em ambiente agradável e tranqüilo, propício à recuperação dos pacientes, onde são realizados todos os atendimentos necessários, as refeições, havendo ainda espaço para lazer;

O tratamento é feito por uma equipe multi-profissional. Cada atividade é voltada para o desenvolvimento de habilidades específicas, abordando diferentes aspectos dos ser;

Quando há necessidade, ocorrem atendimentos individuais, como as consultas médicas, gerenciamento, e outras que podem não pertencer ao atendimento básico do HD, mas que podem ocorrer concomitantemente quando houver indicação, como por exemplo, as psicoterapias individual e familiar;

Para aqueles pacientes que estão se reabilitando do uso abusivo às drogas, contamos com exames de detecção de vestígios de diferentes tipos de droga na urina, realizando na própria clínica, periodicamente;

Metodologia de Trabalho

Com número reduzido de pacientes, o que nos permite realizar um programa particularizado a cada pessoa, de acordo com seus objetivos de tratamento, seus déficits específicos, bem como o desenvolvimento de suas habilidades pessoais.

Assim que o paciente chega é avaliado por toda a equipe, de onde surge um diagnóstico multidisciplinar: neurológico, psicólogo (é realizado o teste de Rorschach quando necessário), levantamento das aptidões, bem como de sua capacidade de autonomia e organização, abstinência às drogas (quando for este o caso), déficits cognitivos, orientação para o lazer.

O Programa de Ressocialização atua como a transição entre a Internação e o atendimento ambulatório, onde o paciente começa a trabalhar questões práticas de seu cotidiano, o que é muito difícil durante a internação integral. Aos poucos, vão sendo acrescidas atividades que objetivam a sua reintegração cultural e social perdidas, ou jamais existentes. Quando está apto a retomar suas atividades normais, entra no esquema ambulatorial, que pode ser realizado por profissionais da própria equipe, ou pelos profissionais de origem.

Normalmente são tratamentos a médio e longo prazo, que vão fundo nas causas que o levaram não só ao consumo das drogas e à dependência, como em falhas da sua estruturação egóica.

Pré-Requisitos para participar do Programa de Reinserção:

‣ Aceitação do tratamento pelo paciente;
‣ Manutenção da abstinência às drogas, inclusive álcool, no caso de paciente droga-dependentes;
‣ Capacidade e pré-disposição inicial para o paciente manter-se em abstinência;
‣ Certo grau de autonomia, capacidade de estar um período sozinho ou com responsáveis em casa (pais ou similar);
‣ Ausência de fatores de risco para manter-se sem assistência 24hs: hetero-agressividade (risco de agressão a familiares ou terceiros) ou auto-agressividade (risco de suicídio);
‣ Infra-estrutura familiar (condições de manter op paciente em casa nos períodos em que não estiver na Unidade Brigadeiro ou em atividades do programa, e fazer o transporte do mesmo, quando o paciente não tiver condições de locomover-se sozinho);
‣ Capacidade de manter-se com as normas e regras, dentro e fora da Clínica;
‣ Mesmo inicialmente apresentando defesas, o paciente será avaliado em sua capacidade de vinculação e aceitação das condições do tratamento durante o período apropriado de um mês no HD.